INFERTILIDADE

FEMININA

Um dos motivos que levam as mulheres a recorrem às consultas de Anti-Aging é o desejo de engravidarem.

Algumas pacientes referem que conseguem engravidar mas têm abortos espontâneos. Outras, devido às irregularidades menstruais, não conseguem saber quando é o seu período fértil.

Também no caso de infertilidade a causa é muito provavelmente hormonal.

No entanto, quando as hormonas falham, ou se houver um diagnóstico mais problemático a nível hormonal, é neste caso que um dos pilares da Medicina Anti-Aging actua, a modulação hormonal bioidêntica, ou seja, uma reposição dos níveis hormonais recorrendo a hormonas não sintéticas. Estas hormonas, têm uma estrutura molecular igual às que são naturalmente produzidas pelo corpo humano, por esta razão, os nossos recetores estão preparados para as receber, não estranhando nem oferecendo resistência.

QUAIS AS

PRINCIPAIS CAUSAS

80% dos casos de infertilidade feminina devem-se principalmente a factores como:

  • HIPOTIROIDISMO

A tiróide é uma glândula localizada na base do pescoço cuja função é a de produzir hormonas importantes para a regulação do metabolismo e também do ciclo reprodutivo.

As mulheres com hipotiroidismo podem ter dificuldade em engravidar, pois na ausência da hormona T4, a ovulação pode não ocorrer ou até mesmo acontecer de forma irregular, num período do ciclo menstrual que não seja favorável à fecundação, dando origem a abortos espontâneos e à impossibilidade de engravidar.

  • SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLIQUÍSTICOS

É um desequilíbrio hormonal que provoca alterações na ovulação e no ciclo menstrual e é a alteração hormonal mais comum nas mulheres em idade fértil (entre 7 a 20%). Alguns estudos apontam para uma possível causa genética e outros relacionam este problema com uma maior resistência do organismo à insulina, gerando um aumento desta hormona no sangue, o que leva a alterações hormonais.

  • ENDOMETRIOSE

endometriose caracteriza-se pelo crescimento de tecido semelhante ao endométrio (membrana mucosa que reveste o útero) fora da cavidade uterina. Estima-se que metade dos casos se deva a herança genética, embora também sejam muito comuns factores hormonais e imunológicos.

Calcula-se que cerca de 25 a 45% dos casos de infertilidade têm associada esta patologia.

 

© 2020 Marta Padilha - developed by Villa Design e Eventos \ avilla.pt